Mulher relaxada com notebook no colo, uma xícara na mãe e acariciando um gato.

Descubra se existem formas de evitar ou controlar o estresse presente no seu dia a dia 

por Hellen Barbosa 

Levando em consideração o ponto de vista biológico, o estresse, segundo os cientistas, é uma característica totalmente funcional e que pode ter sido um fator fundamental para a sobrevivência de nossos ancestrais, que sempre precisaram lidar com defesa e ataque. A Síndrome Geral de Adaptação ao Estresse era o processo pelo qual o homem primitivo costumava passar enquanto estava lidando com atividades básicas de sobrevivência.

Em outras palavras, esta Síndrome seria a capacidade cerebral de reconhecer um contexto de ameaça e, de forma espontânea, emitir impulsos que geram diversas reações químicas e fisiológicas, que possuem como objetivo principal otimizar o funcionamento de cada órgão do nosso organismo. Para que durante as ações de tomada de decisão, ou até de ações imediatas como lutar ou fugir, nós consigamos ter o máximo possível de eficiência.

Levando em conta todo este cenário biológico, o corpo humano, até hoje, continua possuindo as mesmas reações químicas e fisiológicas para situações estressantes. A única diferença são os tipos de episódios que nos levam a ficar estressados, como a pressão para cumprir prazos no trabalho, a ansiedade para um dia importante ou a pandemia da Covid-19. Você sabia que nosso organismo pode até estar preparado para lidar com todas estas condições de estresse, mas ele precisa de alternância com períodos de relaxamento, para que o equilíbrio hormonal seja recuperado?

Mas quais são os sintomas do estresse? 

  • Alteração constante de humor;
  • Hábitos que demonstram nervosismo, como por exemplo roer as unhas;
  • Mudanças bruscas no sono, que podem ser dormir muito ou pouco;
  • Tensão muscular;
  • Falta de apetite;
  • Problemas de atenção e memória;
  • Formigamentos;
  • Náuseas e tonturas;
  • Dores diárias no corpo, principalmente no peito;
  • Queda de cabelo.

Segundo uma pesquisa de 2014, feita pelo Instituto de Psicologia e Controle do Stress, o IPCS, em que cerca de 2.195 brasileiros adultos participaram, 34% deles relataram estresse extremo. Mas existem maneiras de controlar e até evitar o estresse. Você sabia?

Trouxemos cinco dicas práticas e diárias que podem melhorar e muito os seus níveis de estresse: 

  1. É importante que você tente descobrir de onde vem o seu estresse. Ao identificar isso, você estará mais perto de conseguir se organizar e tomar medidas necessárias e que podem ser importantíssimas para mudar a maneira como você se sente;
  2. Depois, é preciso que você entenda e considere o que pode ser mudado por você e que comece a trabalhar nisso;
  3. Achar atividades que você gosta pode ser um ponto decisor. Experimente começar por coisas que te fazem bem e que costumam ser gratificantes;
  4. Gerenciar o seu tempo também pode ser importante para que você alcance o objetivo de conseguir realizar todos os pontos acima;
  5. E por último, mas não menos importante, não se cobre tanto e nem fique tão preocupado em suprir todas as expectativas colocadas em cima de você.

O estresse acaba sendo uma reação inevitável para os seres humanos, ainda mais levando em conta o cenário em que estamos inseridos. Mas uma coisa é fato, se o estresse será um vilão ou não, isso é uma decisão sua. Tudo depende de como você reage e de quanto está colocando a inteligência emocional em prática.