Menina com máscara contra a Covid-19 caminhando segurando a mão de seu pai.

Entenda a importância de desenvolver habilidades socioemocionais, previstas na BNCC, durante as aulas pós-pandemia 

por Hellen Barbosa

Desde quando a pandemia da Covid-19 começou, milhares de estudantes espalhados pelo Brasil, tiveram suas vidas transformadas. Desde março de 2020, as crianças não frequentam regularmente salas de aula e precisaram se adaptar ao provisório ensino a distância. Escolas e universidades também precisaram buscar maneiras de se adaptarem à uma nova forma de ensinar.

As principais discussões entre pais, autoridades governamentais e instituições de ensino estão, na maioria das vezes, se preocupando com as medidas de segurança contra o vírus – e destacamos aqui que este tópico é de grande importância e deve levar em consideração medidas responsáveis e que possam proteger nossas crianças em primeiro lugar sempre. Mas será que estas discussões também têm levado em consideração como nossas crianças estão se sentindo?

É importante lembrar que o Coronavírus trouxe inúmeras situações, que vão muito além da sala de aula, para a maioria das pessoas. Mesmo deixando de lado os dias mais rígidos de isolamento social, com a suspensão das aulas presenciais, por exemplo, os alunos voltaram para suas escolas com todos os conflitos causados pela quarentena. Serão inseguranças, medo de contaminação pelo vírus, luto pela morte de familiares e amigos, ansiedade, crise financeira e readaptação a novos hábitos e a uma nova rotina.

São graças a essas situações que é necessário acolher os estudantes e toda a comunidade escolar no que possa ter relação com as emoções, sentimentos e experiências vividas nos últimos meses. É neste momento que o desenvolvimento de habilidades socioemocionais se torna um aliado no período de volta às aulas e um diferencial para as escolas que aderirem e entenderem a importância deste movimento.

O que são habilidades socioemocionais?

Competências socioemocionais estão ligadas ao entendimento e gerenciamento de todo e qualquer sentimento ou emoção. Ou seja, são habilidades que acabam ultrapassando apenas o campo cognitivo e envolvem de forma muito mais profunda o lado emocional e psicológico dos seres humanos. Uma escola que desenvolve competências socioemocionais precisa, ao ensinar, levar em consideração, de forma primordial, a empatia e o respeito.

É preciso levar em consideração também que o desenvolvimento destas habilidades já está previsto na última atualização da Base Nacional Comum Curricular brasileira. Ou seja, desde o ano passado é preciso que todas as escolas que se encontram em território nacional assumam a responsabilidade de desenvolver este tipo de habilidade.

Existem inúmeras formas criativas e recursos que são capazes de  desenvolver habilidades socioemocionais. Pode ser através de atividades lúdicas, rodas de conversas, debates, experimentação ou até através de jogos, como fazemos aqui no Super Cérebro. É importante que nesta retomada da vida escolar ativa, pós-pandemia, as crianças consigam ser estimuladas a refletir sobre elas mesmas, sobre as relações com os outros que estão em sua volta, a pensar em estabelecer objetivos, saber tomar decisões e conduzir todas essas novas emoções, sensações e possíveis adversidades.